Translate

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

NOTA DE FALECIMENTO

Hoje partiu para estar com o Senhor nosso amigo e irmão em Cristo Presbítero Cléber. Foi para a Casa do Pai, deixando saudades e boas lembranças.
Oremos por sua esposa e filhos.
Nós, da Igreja Cristã Ibero-Americana manifestamos nossas condolências.

Caso desejem postar uma homenagem, os leitores amigos e familiares podem usar este canal - basta clicar no envelope ao lado, ou escrever no espaço "COMENTÁRIOS" logo abaixo.

"E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem."Ap 14.13

OS DEZ MANDAMENTOS DO NÃO-DIZIMISTA

Sei que a questão do dízimo é algo polêmico em todos os seguimentos cristãos. Não quero colocar mais lenha na fogueira, mas fiz o que você pode ler abaixo (uma paródia dos Dez Mandamentos) apenas com o intuito de provocar a reflexão na mente daqueles crentes que são meio sangue-suga.
Sei também que há pessoas que ficam com um pé atrás quando se fala em finanças, por causa dos abusos cometidos pelos fanfarrões e aproveitadores que estão surrupiando as pessoas através da  TV e outras mídias. Todavia, não é correto que você cristão não contribuia com nada - digo financeiramente - para o sustento e manutenção da Obra de Deus. Em razão deste comportamento, muitas coisas deixam de ser feitas e outras param no meio do caminho.
Deus espera de cada um de nós que sejamos generosos, assim como Ele mesmo foi, entregando Seu bem maior: Jesus Cristo!

1. Não terás a obra de Deus acima de suas necessidades e vaidades.

2. Prestarás culto a tudo o que é supérfluo e fútil, e por estes te endividarás.

3. Terás domínio absoluto sobre todos os teus ganhos, negando a soberania do Criador.

4. Trabalharás ambiciosamente e não terás tempo para descanso, lazer e culto.

5. Não pouparás.

6. Não ofertarás.

7. Não socorrerás o próximo.

8. Enganarás para obter vantagens, sempre que possível.

9. Desprezarás as advertências bíblicas sobre mordomia financeira, e as terás como legalistas e obsoletas.

10. Disseminarás suspeitas no meio do povo de Deus todas as vezes em que os ministros pregarem sobre finanças.

- pr Aécio -

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

SEM COMENTÁRIOS

Ouça e tire suas conclusões... Já tirei as minhas!

“UNGIDOS DE DEUS”?



Como se “unção de Deus” fosse patente para ministros dos nossos dias e “garantia anti críticas” e outras discordâncias, muitos arrogantes transformaram esta frase em blindagem para se safar de toda e qualquer palavra ou ação que não seja do seu agrado.
Ingenuamente muitos cristãos sinceros, porém, sinceramente enganados, vão nessa onda e tentam a todo custo livrar a cara de seus “ungidos” prediletos quando qualquer pessoa emite opiniões ou qualquer juízo sobre os tais.

Bem, não vou entrar em critérios bíblicos profundos – respeitando as pessoas que acessam o Blog e não entendem do assunto – mas, quero só lembrar tanto aos ministros que usam deste expediente, quanto aos ferrenhos defensores dos mesmos que NENHUM ministro de nossos dias pode querer se comparar aos profetas, reis ou sacerdotes do Antigo Testamento, sob nenhuma alegação ou hipótese. Fazendo assim estão cometendo uma grande tolice e forçando as pessoas a acreditarem em algo que simplesmente não tem base bíblica nenhuma!
Muitas vezes, também ouvi pregadores fazendo média com pastores e outros líderes (isto já aconteceu em relação a mim mesmo) usando a passagem em que Davi poupou a Saul (“O SENHOR me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do SENHOR, estendendo eu a minha mão contra ele” – I Sm 24.6) para corroborar o pensamento (leia-se a confusão) corrente sobre o assunto. É a velha história do texto fora do contexto... Vocês sabem, né?!
Para ser bem breve, em algum lugar do Novo Testamento encontramos algum dos Apóstolo reivindicando algo do tipo “Nós somos os ungidos do Senhor”? É possível encontrarmos um só versículo onde os crentes são orientados a tratar os líderes da igreja como “ungidos de Deus”? “Não” para a primeira e para segunda questão!
Em suma, todo crente tem a unção de Deus sobre Ele. Unção é, basicamente, consagração, separação. Logo, my friends, todo crente é ungido de Deus! Simples assim!

“...mas haveis sido santificados... pelo Espírito de nosso Deus...” - I Co 6.11
“E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.” – I Jo 2.20

DE JONAS E DE LOUCO, TODO MUNDO TEM UM POUCO - II



Baseado em Jonas 1 e 2

O que tinha começado com uma decisão errada, em desacordo com uma ordem expressa de Deus, acaba se transformando numa enorme dor de cabeça. Não é muito diferente com muitos de nós, cristãos atuais. Existem ordens expressas na Bíblia, comuns a todos os cristãos, tais como: Pregar o evangelho, orar, vigiar, ler a Palavra e muitas outras. Então, negligenciamos todas elas e pagamos um alto preço pela negligência e rebeldia.
Quando existe um chamado específico, para um ministério específico, então, aí que as coisas se tornam mais e mais complicadas. Conheço muitos irmãos que em nome de circunstâncias pessoais resistiram ou ainda continuam resistindo ao que Deus tem para eles no âmbito de ministério. Preferem fazer o que dá na telha, andar de acordo com suas convicções pessoais e cumprir sua própria vontade. Assim como na história de Jonas, tais pessoas são submetidas a duros testes que sacodem suas vidas (Jn 1.4), na tentativa divina de que estes se desprendam dos laços que os impedem de serví-Lo da maneira que Ele quer.
A insistência de Jonas em negligenciar é outra coisa facilmente verificável em nossas igrejas – a isto chamo de “complexo de Nínive”. Mesmo com todo aquele alvoroço, Jonas dormia tranqüilo e indiferente ao que passava a sua volta. Nada o incomodava, até que foram lhe chamar para tirar a “prova dos nove”.
Nada é tão desgastante quanto a indiferença daqueles que entram e saem de nossas igrejas, com ares de que não têm nada a ver com a congregação. Ocupam pastores, usam dos favores da irmandade, mas na sua parte simplesmente dormem, omitem de maneira descarada e insensata, causando grande desconforto para a Obra de Deus – e isto é mais sério do que se possa imaginar.

Se não vai de barco, vai de peixe. Foi o que aconteceu com Jonas! Era ele quem Deus queria usar para entregar uma mensagem de salvação à população de Nínive. Deus é sábio e tinha motivos bem específicos em relação a utilizar-se de Jonas como mensageiro. Da mesma forma, precisamos ficar tranqüilos e confiantes quando Deus nos confiar uma tarefa por que Ele se responsabiliza pelo que vai acontecer.
Jonas resistiu até o último minuto, até que não houve mais jeito: Foi parar na barriga de um grande peixe! Mas, o tratamento de choque que Deus dá em Jonas não pára por aí: desceu ao abismo, às profundezas do mar. É triste a gente saber que na vida real, muitos “Jonas” estão desta maneira, no fundo do mar do desânimo e da depressão espirituais. Deus estava apenas querendo que Jonas fizesse um trabalho para Ele, e Jonas causou toda esta celeuma! Deus quer que façamos um serviço para Ele, mas nem todos obedecem ao Seu chamado, preferindo correr o risco de descer, descer e descer!
Clamar é sempre a melhor pedida. Buscar o Senhor em sincero arrependimento e render-se a Ele sem reservas foi o que livrou Jonas daquela situação, que tinha tudo para ser seu fim (2.1-7). Como ele, aqueles que sabem que estão em falta diante de Deus no que tange ao seu chamado ou vocação, devem clamar ao Senhor de todo o coração e propor uma mudança drástica em suas agendas e prioridades, afinal, há muitas “Nínives” aguardando os “Jonas” que decidiram navegar em águas contrárias!

- pr Aécio -

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

DE JONAS E DE LOUCO, TODO MUNDO TEM UM POUCO - I



BASEADO EM JONAS CAPS. 1 E 2

Temos a tendência de criticar determinados personagens bíblicos. Por mera ignorância e desconhecimento do contexto histórico (às vezes preguiça de pesquisar mesmo) não foram poucas as vezes que ouvi pregadores e professores de EBD malhando o Judas e um monte de outros homens da Bíblia. Jonas sempre foi um dos mais "malhados".
Gosto quando a Bíblia explicita o caráter de pessoas como Jonas, pois quem nunca foi como ele? Quem nunca se deixou levar por esta ou aquela situação e caminhou na direção oposta a que Deus mandou?

Pois bem, é mais ou menos assim que a saga de Jonas começa a ser narrada na Bíblia: Deus mandou que Jonas fosse à cidade de Nínive, mas ele vai para Társis. Erro de percurso? Não! É o grande o erro que todos nós temos de achar que podemos alterar o plano de Deus, de dar um jeitinho aqui e outro acolá ao nosso bel prazer.
Jonas não perdia por esperar, durante a viagem em que tentou tirar o controle das mãos de Deus, uma tempestade começa a dar solavancos no navio, colocando não só a sua, mais a vida de toda a tripulação. Já viu esse filme em sua vida? Eu já! Quando a gente sai da direção de Deus é um Deus nos acuda, quem tiver por perto é provado por tabela! Correria daqui, clamor de lá, lamúrias por acolá, até que o Jonas assuma o B.O. e se veja encurralado. Mais cedo ou mais tarde todo Jonas tem que sair do porão e mostrar a cara!
Não sei do que você está fugindo, nem onde é seu porão, mas uma coisa acho que você precisa levar a sério: Teu sono não pode durar muito tempo! A Bíblia diz que “já é hora de despertarmos do sono” (“Rm 13.11). Muitos crentes querem fugir de responsabilidade e compromisso na obra de Deus, isolando-se nos porões da nulidade, do pieguismo, do rancor ou do mero comodismo mesmo. Porém, de um jeito ou de outro, uma hora o “Jonas” que você é vai ser descoberto – veja que os tripulantes do navio foram bater lá e o questionaram “Como podes dormir?” (1.6) – parece que passou um filme na minha frente agora com um monte de "Jonas" da minha congregação desfilando na passarela da negligência e da omissão! Neste momento, a história de Jonas mostra que até dormindo um desobediente atrapalha! Mesmo confinado em um porão e dormindo ele dá toda aquela dor de cabeça para os marinheiros – o que só vai se resolver no momento em que reconhecer, confessar e mudar de atitude.

Pois bem, meu irmão, você pode ser um Jonas neste momento, e acho que está na hora de repensar sua postura frente às necessidades de sua igreja, comunidade e até de sua família. – pr Aécio

CONTINUA

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

PARTICIPE!


Contribua com nosso Blog! Seja um de nossos parceiros nesta empreitada para edificar, alertar e incentivar as pessoas a pensarem de maneira mais propositiva!
Comente as matérias, envie sugestões ou sugira matérias para que possamos interagir de maneira mais direta! Seus comentários ou matérias poderão ser publicados após análise e correção - se necessário.
É sempre um imenso prazer conhecer pessoas interessadas em caminhar juntas em parceria!

Te esperamos!

- pr Aécio -

OLHA ISSO!

Quando um "profeta" incentiva o povo a um "ato patético" de cobrir um "pastor" de dinheiro, enquanto esse permanece estático, adormecido até que seja acordado com uma palavra da esposa, e depois levanta pisando e empurrando os milhares de reais com pés não há mais o que dizer, senão QUE ESTAMOS PRÓXIMOS AO FUNDO DO POÇO na história da igreja evangélica brasileira!
Quando o dito povo de Deus já não discerne entre o que é bíblico e o que não é, nada mais resta senão dizer MARANATA, ORA VEM SENHOR JESUS!
Tudo isso se passou numa igreja que até 17 anos atrás considerava uma denominação séria... Hoje não mais!!!

IRMÃOS, SANTOS DE DEUS, ERGUEI VOSSAS CABEÇAS: O FIM ESTÁ PRÓXIMO! - pr Aécio

OURO DE TOLO


Por pura teimosia ou por um inconsciente instinto indomável de autoflagelação, sei lá, de vez em quando passo por aqueles canais de TV onde os mercadejadores da Palavra são figurinhas certas. Tão certas como suas presenças são as mensagens cheias de segundas e terceiras intenções para fidelizar a clientela, of course, além dos “produtos mágicos” que oferecem para “abençoar” a audiência.
Ali a benção não precisa ser paga a vista! Prestações e prazos longos para ser contemplado pela graça divina é o que não faltam nos carnês das “colunas do não sei o quê” ou nos famigerados carnês de “Gideão”. Cá entre nós: a imaginação e a criatividade para atrair novos clientes é algo simplesmente invejável, fantástico! Sim, você leu clientes mesmo! Ainda hoje ouvi um indivíduo fazendo apelos para que sua audiência adquirisse os tais carnês, dizendo que não interessava a religião, o credo, a placa da igreja, etc. – só faltou dizer que o que lhe interessava era apenas o dinheiro, e só o dinheiro! A gente sabe que entre eles há uma disputa acirrada, cabeça a cabeça pelos bolsos dos pobres coitados que não conhecem o Evangelho da Graça, que se apegam à primeira tábua de salvação que se lhes oferece! Estes querem cura, libertação e prosperidade a todo custo, aqueles querem fincar suas estacas em todos os estados brasileiros, marcar presença no exterior e construir enormes e luxuosos templos com mo mesmo espírito do Nabucodonosor, custe o que custar.
 Eles não estão nem aí para a miséria pessoal das pessoas que abarrotam suas propriedades. São bons em jogo de cena, em pirotecnia, cortinas de fumaça e outros truques para atrair e convencer as multidões. São péssimos na pregação e exposição bíblicas tanto quanto o são na visão de Reino. Tanto é que alguns deles se tornam inacessíveis, arrogantes e gostam demais de aproveitar das câmeras e microfones para humilhar, achincalhar e expor ao ridículo a todos que ousarem em se opor às suas obras. Quando não usam da estratégia de franco atiradores para acabar com os opositores, utilizam-se do velho e batidão álibi de que “estão sofrendo perseguição”... A propósito, o que eles entendem de perseguição andando em carros blindados, c ercados de seguranças, morando em condomínios fechados ou circulando em céu de brigadeiro nos jatinhos fretados ou particulares?

Olha pessoal, que me perdoem os super éticos e os covardes (muita gente não concorda mas morre de medo dos “apóstolos”, “bispos” e outros “bam-bam-bans”), mas eu é que não vou ficar assistindo de camarote a esta enxurrada de mentiras “em nome de Jesus” e ficar quieto! Não dá pra continuar vendo tanta gente enganada em nome da fé (leia-se da má fé), por meia dúzia de coronéis da igreja brasileira! Se as denominações tradicionais se calam e reservam seus comentários para as quatro paredes de seus templos; se as denominações pentecostais históricas oscilam entre ficar em cima do muro e puxar-saco dos grandões neopentecostais e, por fim, se as milhares de igrejas pequenas independentes acham bonito imitar as dominadoras do mercado feito papagaios de pirata, é problema deles.

Quanto a mim, decido não vender ouro de tolo! Decido que as pessoas precisam saber que campanhas, correntes, penduricalhos supostamente ungidos do tipo sal grosso, rosas, miniaturas de arca, candelabros e outras parafernálias NÃO são necessários para que alcancem a benção de Deus e – o mais grave – NÃO os levarão para o céu e NÃO os livrarão do inferno!

Aconselho aos leitores do Blog que têm caído nestas astúcias a procurarem igrejas, comunidades e movimentos sérios que consigam ser claros quanto aos princípios bíblicos; que exponham a doutrina bíblica com firmeza; que tenham um discipulado consistente; que tenham ministros transparentes em sua maneira de viver, que não usurpam do dinheiro de dízimos e ofertas para proveito próprio; que preguem a santidade e combatem o pecado com veemência e que tratem a Obra de Deus como Obra de Deus, não como entidades, organizações, instituições ou impérios pessoais que deixarão de heranças para suas descendências.

Em Cristo!

- pr Aécio -

SOBRE A TRAGÉDIA NO HAITI


Pode ser que os leitores do Blog estavam esperando alguma manifestação de nossa parte sobre a tragédia no Haiti. Pois bem, não há muito o que ser dito diante das matérias veiculadas por todos os meios de comunicação. Aliás, o que tenho lido de baboseiras relacionadas aos eventos catastróficos naquele país é mais trágico que a própria tragédia - grande parte destas baboseiras li em sites e blogs evangélicos, postadas ou escritas ora por espiritualóides sem noção do ridículo, ora por intelectualóides tentando explicar o inexplicável.

Alguns são tão tapados que dão à tragédia um ar todo vingativo de Deus em razão das práticas do Voodoo, etc., outros "viajam na maionese" com seus comentários filosoficamente calculados, mais preocupados com o que vão achar de seus textos do que com a desgraça dos haitianos. Tudo isto é muito fácil para quem não está chorando seus mortos ou sentindo o fedor de cadáveres nas ruas. É simples para nós aqui, fazermos análises e comentários sem ter um membro necrosando e o que é muito pior, sem saber se vai resistir às infecções, não é?! É cômodo para aqueles que estão confortáveis em suas casas e escritórios ficar metendo o bedelho na vida de quem está vivendo um inferno!

E mais: o que dizer dos órfãos, dos viúvos, dos que herdarão os traumas físicos causados pelas perdas de membros, ou fadados aos limites da loucura por conta das imagens que jamais sairão de suas mentes?
Optei por orar, clamar em favor dos haitianos. Optei por procurar meios de ajudar através de instituições ou organizações humanitárias (que são muitas) para ver se posso amenizar um pouco o pesadelo daquele povo esmagado pelo terremoto, ainda que seja numa fração mínima. Optei pela empatia. Optei por imaginar que poderia ser eu ali, minhas filhas... Minha esposa ou alguns de meus parentes e amigos...

E se fosse você ou seus amados debaixo dos escombros?! Pense nisto... Antes de escrever ou falar sobre o Haiti.

- pr Aécio -

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

CADÊ O PASTOR?

No dia 31 às 11hs, o pastor Aécio ministra na Igreja Presbiteriana de Taiwan no Brasil Santo Eterno. O culto é bilingüe e a mensagem terá tradução simultânea - a entrada é franca e você é nosso convidado!
Endereço: Rua Antonio Marcondes, 174 / travessa da Av. Nazaré, altura da Universidade São Camilo - Ipiranga / São Paulo.

Mais informações: igiberoamericana@bol.com.br ou igiberoamericana@hotmail.com

GERAÇÃO DOS INSACIÁVEIS

A geração consumista, voluptuosa e invejosa em que vivemos aprendeu que sempre é preciso mais e mais para sentir-se satisfeita. Ninguém se contenta com o que tem e isto tem causado uma série de problemas para indivíduos, famílias e sociedades inteiras. É a geração dos insaciáveis!
Para piorar a situação, ainda existem apóstolos da ganância que fomentam este comportamento com suas teologias narcisistas, antropocêntricas e não menos insaciáveis.
Alguns pais e mães também não ajudam em nada, pois contribuem para a deformação do caráter de seus filhinhos que mal saíram das fraldas, entregando-lhes celulares e outros eletrônicos caríssimos só para provar pros parentes e vizinhos que eles têm o poder. Assim, estas criaturinhas vão crescer achando que a vida é assim, quem tem e pode (comprar) mais, chora menos!
Redimensione isto tudo com um toque da mídia moderna, associada e aliada aos métodos publicitários cruéis que não dão nenhuma chance da pobre geração consumista de se defender, e terá a química maldita que molda o pensamento pós-moderno. Basta assistir aos comerciais, ver os outdoors ou ouvir campanhas radiofônicas para se sentir o sujeito mais miserável, caso não compre o novo lançamento automobilístico, por exemplo. Dê uma espiadela nas propagandas de produtos para emagrecer, como aquele em que contratam uma moça esbelta ou um cara malhado para convencer aos obesos de que é possível alcançar o corpo e peso ideais adquirindo o produto anunciado – em minha opinião isto deveria ser crime passível de pena sem direito a fiança!

Mas, estes comportamentos de querer tudo, desejar tudo, possuir tudo e ambicionar tudo para sentir-se pleno denuncia o vazio existencial e espiritual dos quais esta geração sofre. Pessoas mal resolvidas e mal amadas tendem a se locupletar com “coisas”. Quanto mais carência, mais necessidade de coisas; quanto mais depressão, mais busca por coisas; quanto mais frustração, mais autocompensação com coisas.
Denuncia também a decadência das famílias que são cada vez mais incapazes de prover aos seus membros a sensação de plenitude oriunda de sentimentos e relacionamentos verdadeiros, sinceros e consistentes. Muitos pais ausentes e frouxos na maneira de educar seus filhos optam pela compra do PC ou do Playstation para o filhinho não lhe cobrar atenção – ao menos a criança vai ficar ocupada e não terá tempo de querer a presença do progenitor. Da mesma maneira muitas mães modernas têm como sonho de consumo uma babá para que seus filhinhos sejam “bem cuidados” (ou melhor “que não lhes encham...”) – entendo que algumas não tem escolha por motivos justo e óbvios, outras são incompetentes mesmo.
Não sei se vou ajudar com minha experiência de família, mas desde cedo busquei mostrar para minhas cinco filhas que o mais importante para elas não eram as coisas, mas as pessoas, os valores morais e espirituais e os relacionamentos verdadeiros. Eu e minha esposa transferimos a elas ensinos dos quais sempre poderão e deverão ter em mãos quando a vida não se mostrar muito simpática, mesmo quando faltarem todas as coisas. Amor, carinho, diálogo, atenção e outras manifestações de afeto, por exemplo, foram e sempre serão nossa maior preocupação. Muitos de seus aniversários elas passaram sem ganhar um presente sequer, porém, em nenhum deles deixamos de declarar o quanto elas são importantes para nós, e o quanto as amamos. Por diversos natais não compramos sequer uma muda de roupas, muito menos brinquedos, mas sempre as cobrimos de amor e real interesse por seus problemas.
Pelo andar da carruagem, visualizo a geração de insaciáveis se perpetuando nas próximas gerações. Entretanto, creio, que entre os insaciáveis sempre haverá um remanescente: aqueles que não serão convencidos de que o mais importante é comprar, ter e possuir coisas para sentir-se feliz e pleno. Serão os que terão a capacidade de amar as pessoas e valorizá-las; de enxergar a vida com simplicidade; de investir em relacionamentos sinceros e de entender que o melhor e mais importante para nosso curto período de existência é tudo aquilo em que não necessitamos gastar nenhum centavo, que é de graça! - pr Aécio

domingo, 24 de janeiro de 2010

NOSSA AGENDA - 24 A 31 DE JANEIRO DE 2010

Além das principais programações (na agenda abaixo) temos inúmeras programações em dias e horários diferenciados. Mantenha-se informado nos cultos, através do Blog ou pelos e-mails: igiberoamericana@hotmail.com ou igiberoamericana@bol.com.br



sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

AS CONTRADIÇÕES DA FÉ - II


"...Mas o justo viverá da fé." - Rm 1.17
Por ser misteriosa, a fé é o que é: “O firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem” (Hb 11.1), ou seja, em minhas palavras, é ápice da esperança. É a esperança capaz de desenhar nossos anseios em cores reais, quase tangíveis. É a certeza que já não reside na esfera do pensamento, que extrapolou os limites das conjecturas, está sim, impressa em nossa alma como uma estranha sensação de que já vimos ou experimentamos algo que tanto desejamos, ainda que diante de nossos olhos tudo permaneça igual.

Com o advento das teologias utilitaristas e de mercado – embutidas naquelas malditas pregações a que me referi anteriormente – me parece que a fé também virou alguma coisa a ser desejada não porque é ela que nos conecta com o Criador (“sem fé é impossível agradar à Deus” – Hb 11.6), e nos faz desfrutar de Seu imenso favor, Sua graça. A fé passou a ser uma espécie de “sonho de consumo”, visto que ter fé é sinônimo de poder alcançar tudo, nem o céu é mais o limite.
As pessoas querem fé para possuir coisas. A desejam para obter sucesso, fama, prestígio e bens – o que é uma grande contradição. O pregador diz: “Se você tem fé, deve ter um carro novo na garagem” - e um estúpido (desculpem minha falta de paciência com estas coisas) qualquer vai dizer: “Amém!”.

Na “galeria dos heróis da fé”, como aprendemos a chamar Hebreus 11, encontramos a fé do como ela é: Sem rodeios, sem cortes, sem edição, sem enfeites, sem a conversa mole dos pregadores pós-modernos, sem a hipnose das grandes concentrações dos fazedores de milagres e sem as frescuras dos cultos bem produzidos para atrair clientes (ao invés de crentes).
Hebreus 11 precisa ser lido e relido por este povo que parece estar entrando num processo de “burrificação” espiritual por dar tanto crédito aos pregadores mambembes de nossa era. Isto se dá por não ouvir o Espírito Santo e não santificar a vida no altar da Palavra.
Leia e releia Hebreus 11 quantas vezes puder e note que a fé permanece intacta mesmo quando nossa história oscila entre derrotas e vitórias, ganhos e perdas, força e fraqueza, vida e morte, sem jamais de ser o que é! Fé é sempre fé, não importa se estou no topo ou se estou no fundo do poço!

Está na hora de darmos um basta nesta onda de pessoas contando testemunhos na TV, mentoreadas e manipuladas feito marionetes nas mãos dos industriais da fé, para impressionar os outros com aquelas histórias de sucesso meteórico (geralmente financeiro) “desde que conheceu a Universal” ou outra igreja qualquer... Chega! Isso é patético, é ridículo! Conheço muita gente que, como eu, viu seu mundo desabar ou virar de cabeça pra baixo exatamente a partir do momento em que se decidiu por Cristo! Basta ler o Novo Testamento para comprovar a correria que foi para os primeiros discípulos; as intensas perseguições vividas pela Igreja Primitiva; as surras e apedrejamentos de Paulo; as fogueiras acesas em torno de nossos irmãos nos períodos de perseguição no passado; etc.
É preciso ler as estatísticas de Organizações como a Missão Portas Abertas* para ver que é mais virtuosa e convincente a fé de quem passa privações e corre risco de morte, do que a fé de quem “determina” e “exige” riquezas temporais (isto se pudéssemos classificar a fé).

- pastor Aécio -


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

AS CONTRADIÇÕES DA FÉ - I

“...para que em mim tenhais paz...”

Diferentemente do que apregoam os mensageiros triunfalistas, a vida cristã é também recheada com requintes de sofrimento, dor e lutas... Muitas lutas. Quem cai nas pregações proclamadas do alto dos púlpitos da IURD, IPMD e IGD e correlatas tende a se frustrar, pois foi lhes passado uma mensagem que funciona feito “morfina”, quando o efeito passa a dor volta na mesma ou em maior proporção e intensidade.
A despeito de crer em milagres e intervenções “sobre” e “extra-naturais” de Deus, não me canso de vacinar a igreja que me foi confiada com estas verdades, visto que há uma tendência em nossos dias de se apegar ao que a Bíblia não diz. Por exemplo, muitas mentiras são pregadas em nome de Jesus e em horário nobre, ou em seus cultos cheios de pessoas ávidas para se libertar de todo tipo de sofrimento – falta de bom senso! Exemplos? Isto é o que não falta: “Deus nos quer ricos”; “Deus nos quer patrões, não empregados”; “Privações são obra do diabo”; “Quem está doente é por que não tem fé”; e muitas outras balelas parecidas.
O fato é que a gente precisa começar a combater estas bobagens com punho de ferro senão a igreja vai virar a casa da mãe Joana, ao invés de ser casa de Deus! Mentira é mentira e não adianta a gente ficar dizendo “vamos orar, vamos orar”! Me irrito por que todo mundo sabe que estas mensagens só funcionam para estes caras (nem ligo de chamá-los de obreiros, são “caras” mesmo e de pau!), pois eles tem plano de saúde do mais caro; moram em ricas mansões e são milionários donos de empresas milionárias! Ora, o evangelho deles funciona pra eles! Se quiserem calar a minha boca, então, desafio-os a abrirem mão de seus planos de saúde, a viverem de salário mínimo e a caminharem 1 hora até o ponto de ônibus para dar um “trampo” de 10-12 horas por dia, pois é exatamente aí que a fé é fé de verdade... Fé dentro de jatinho é uma coisa, duas horas dentro de ônibus abarrotado de tupiniquim é outra; fé diante de um prato feito por chef francês é uma coisa, fé diante do arroz, feijão, ovo e batata frita é outra; fé de quem têm câncer, mas pode se cuidar no Sírio Libanês é uma coisa, mas a fé de quem precisa do HC e Emílio Ribas é totalmente diferente; fé de quem pode colocar o filhinho na Escola de R$ 1.000,00 é uma fé; mas fé que fé tem que ficar na fila desde a meia noite pra garantir uma vaga pro filho na escola pública perto de casa é outra.

O que mais me dói em ouvir as baboseiras (nem vale a pena chamar de heresias algumas coisas que ouço e leio) é que esta gente impiedosa, supostamente ungida, subjugam a inteligência das pessoas e as manipulam com a mesma facilidade de quem está apenas querendo empurrar um produto qualquer, usando as mesmas técnicas de marketing usadas em canais do tipo Shop Tour – que coisa mais infernal!
Outra coisa é que a gente precisa acordar para a realidade de que, quando chove, chove na cabeça de todo mundo. Jesus disse que a chuva vem sobre justos e injustos! Não é diferente em matéria de lutas, conflitos, etc. Em nenhum cantinho da Bíblia encontro subsídio ou base para defender a tese do evangelho sem dor – muito pelo contrário. Então, concluo que os que saem berrando por aí que o cristão não vai passar pela famosa “pindaíba”, que não fica doente e está isento de qualquer outro dissabor que o mundo proporciona, deve estar buscando sua inspiração em qualquer outra fonte que eu, sinceramente, desconheço!

– pr Aécio –

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

PARASITISMO EVANGÉLICO

*TRADUÇÃO:
- Nós estamos na asa esquerda ou na asa direita?
- Quem se importa...
- ...Contanto que eu sugue sangue o dia inteiro, estou feliz!
- Malditos parasitas!

--------------------------------------------------------------------------------------------

Ainda estou sob a influência (leia-se em estado de êxtase) dos dias que passei recentemente num projeto mmissionário de curto prazo. Então, vou aproveitar o "gás" para escrever mais sobre minhas impressões acerca da letargia espiritual que afeta um montão de crentes em nossos dias - espero que um deles não seja você!
A esta letargia vou chamar de "parasitismo espiritual" e aos que julgo sofrer deste mal de "parasitas". Se os termo chocam ou não, assumo a responsabilidade, mas na minha opinião, há cristãos que não contribuem em nada para o avanço do Reino, portanto, suas atitudes são reputadas como parasitismo mesmo, e os tais cristãos não passam de parasitas mesmo.

No Wilkipedia, a gente pode enncontrar algo interessante sobre parasitismo e parasitas. Veja: Parasitas são organismos que vivem em associação com outros aos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro, um processo conhecido por parasitismo. O efeito de um parasita no hospedeiro pode ser mínimo, sem lhe afectar as funções vitais, como é o caso dos piolhos, até poder causar a sua morte, como é o caso de muitos vírus e bactérias patogénicas. Neste caso extremo, o parasita normalmente morre com o seu hospedeiro, mas em muitos casos, o parasita pode ter-se reproduzido e disseminado os seus descendentes, que podem ter infestado outros hospedeiros, perpetuando assim a espécie. Algumas espécies são parasitas apenas durante uma fase do seu ciclo de vida...”.
A impressão que tenho é que alguns cristãos são parasitas desde o início da fé. Não sei se o problema é a falta de conversão genuína... Deve ser. Outros, começam bem e começam a "parasitar" em algum tempo depois - neste rol estão veteranos e obreiros de carreira também (alías o que têm de parasitas em nossas lideranças não é brincadeira, não é?!).
Acho que não existe um perfil único para os parasitas da igreja. Alguns são descarados e assumem logo que não querem se envolver com nada, que não gostam de se misturar com a igreja, que tem a vida agitada e blá, blá, blá...
Outros parasitas são escorregadios feito quiabo (esta palavra rima com outra...). Estão sempre cheios de boas intenções, mas ainda não é tempo ou "Deus não confirmou em seu coração"... Tadinho!
Há parasitas que a gente só descobre depois que a coisa tá fedendo. São os "parasitas-come-quieto". Estes não têm pressa em acabar com a comunhão na igreja ou em praticar um pecadão medonho... São uma espécie terrível!
Há os parasitas que não cheiram e não fedem. De tão parasitas, se auto aniquilaram e já nem fazem mais falta - triste isso, não?! Mas que existe, existe!
Há parasitas que juram não ser parasitas. Afinal, não perdem os cultos de domingo e sempre entregam seus dízimos pontulmente. Para estes, exercer ministérios e pôr em prática os dons que receberam do Senhor é apenas um detalhe de somenos importância... Me engana que eu gosto!

Que o Senhor nos livre do parasitismo espiritual!
- pr Aécio -

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

PENSANDO LIDERANÇA... QUE DOR DE CABEÇA!

Em razão do curso de uma semana que ministro periódiamente, sou obrigado a rever os temas que serão discutidos em classe durante o período. Quase sempre mantenho a maioria dos assuntos. De vez em quando faço algumas inserções na matéria sobre conceitos gerais ou acrescento um tema novo. Recentemente introduzi um que aborda a questão da ética na praxis ministerial... Aí foi onde "o bicho pegou"!
A dor de cabeça não foi só pelo assunto em si, ou pelas duras e intermináveis horas de leitura, pesquisa ou reflexões. Também não foi por de ter fazer uma espécie de malabarismo literário para "expremer" dos livros, estudos e pesquisas em sites o máximo possível e encaixar numa página só (para falar durante duas horas) um assunto tão vasto e, ao mesmo tempo, tão necessário.

Mas, dor de cabeça mesmo veio quando tive que ficar pensando e remoendo as experiências amargas envolvendo ex-colegas de ministérios, tanto pastores como demais líderes com os quais convivi durante anos. Mais ainda em lembrar que todos eles foram tão covardes, ingratos e desonrosos que até hoje não voltaram nem para se despedir ou agradecer ao povo que os sustentou, abençoou e lhes deu apoio em horas difíceis de suas vidas. Que dor de cabeça saber que nossas igrejas e sociedade em geral possuem gente que não "vale o que come", como dizia minha falecida avó, no entanto, andam regurgitando poder e autoridade sobre o povo de Deus, posando de santos (do pau oco) nos púlpitos por aí!

A dor de cabeça se intensificou ainda mais quando tive que buscar em meu aquivo de memórias as figuras de velhos líderes aos quais tive de me submeter. Homens e mulheres despreparados, incapazes (alguns corruptos), os quais muitas vezes se deixavam guiar pelas vaidades mais profanas e pelos comportamentos mais vis. Que dor de cabeça pensar que fui tão ingênuo (e algumas vezes tão estúpido) a potnto de não perceber am ausência de sinceridade no coração deles, e que não havia santidade na vida daquelas pessoas!

A dor de cabeça se tornou insuportável quando começaram a desfilar diante dos meus olhos, e a reverberar em meus ouvidos imagens e vozes dos atuais líderes que recheiam as TVs e as rádios com suas mensagens espúrias e verdadeiros dejetos, aos quais chamam de "evangelho". Que dor de cabeça ver a Igreja entregue a mercenários, vendedores de ilusões gananciosos por jatinhos, mansões, poder e fama... Que dor de cabeça... Que dor...!

- pr Aécio -

domingo, 3 de janeiro de 2010

NOSSA AGENDA SEMANAL - 04 A 1O DE JANEIRO

Nas resoluções de ano novo coloque em suas anotações o propósito de ser mais freqüente e ativo na igreja!
Se você ainda não faz parte de uma igreja ou comunidade evangélica, vem pra Ibero! Está insatisfeito aonde está? Ore ao Senhor, fale com seu pastor e venha se integrar à nossa gente...
Informações pelo e-mail: igiberoamericana@hotmail.com ou clicando no ícone do envelope ao lado.

Te esperamos!

video

sábado, 2 de janeiro de 2010

“APARTAI-VOS DE MIM, VÓS QUE PRATICAIS A INIQÜIDADE.” (MT 7.23) - V

Nesta etapa da mensagem quero tocar numa das feridas mais sensíveis que enferma a liderança evangélica brasileira: o corporativismo e as grandes armações para eleger políticos. Aproveito para "sentar o reio" nas costas daqueles que usam e abusam das suas posições para obrigar seus fiéis súditos (o que deveriam ser ovelhas) a votarem em determinados candidatos ou partidos com uma única intenção: favores pessoais e regalias para suas próprias denominações. Justiça seja feita, embora existam, são raríssimos os pastores éticos, que respeitam os parâmetros da democracia e que estão sinceramente preocupados em indicar ou instruir os crentes de suas igrejas a votarem de maneira consciente e cristã. Existem sim, pastores que sabem dialogar com as mais diferentes correntes políticas e respectivos representantes políticos e daí extraem o que é justo, coerente e aceitável para os padrões cristãos.

Não falo apenas do que ouço ou leio, mas já tive nojo e sai de cultos quando vi o púlpito sendo pisado por políticos que odeiam crentes e fazem pouco caso tanto da Igreja, como da palavra de Deus, entretanto, na hora do voto nos cumprimentam com a “Paz do Senhor” e falam como se fossem teólogos! Já me estressei o bastante por ver pastores presidentes organizarem recepções demagógicas para fazer alianças com políticos famintos por votos. Desta forma profanam a Obra de Deus com as intenções mais absurdas, algo como facilidades, concessões e outras negociatas.
O mais ridículo em tudo isso é que os púlpitos são vendidos a preço de banana! A “jogação” de confetes e puxa-saquismo chega às raias da insanidade e da falta de bom senso – em certas igrejas pentecostais, por exemplo, seus candidatos têm direito à profetadas e tudo... Deus me livre!
Em determinada ocasião fui convidado para pregar numa igreja que não só tinha um político convidado, o próprio “bispo” líder da igreja era candidato a deputado federal, em plena campanha! Nem preciso dizer que ele se deu muito mal comigo quando quis usar passagens bíblicas como a história de José e de Davi para explicar seu “chamado para a política”... Para encurtar a história, ele não foi eleito. Na apuração dos votos, o número correspondente aos seus eleitores não alcançava nem metade dos membros de sua igreja – Glórias à Deus!

Crente nenhum está obrigado a votar em candidatos indicados por seus pastores. Já fui induzido por pastores da denominação a que fiz parte votando em quem não queria – isso se deu no início de minha fé. Os mesmos pastores daquela denominação que há quase duas décadas diziam que o Lula seria o anticristo, e que o PT era do diabo, hoje “babam ovo” pra ele e fazem aliança com seu partido (aliás existem até obreiros da tal denominação filiados ao PT!). Recentemente os tais induziram (de novo) os membros das suas congregações na região em que moro a votar na candidata do mesmo partido. Para se ter uma dimensão mais precisa da coisa, foi uma tietagem desenfreada quando os crentes souberam que a candidata, então derrotada, iria aparecer no culto – quebraram a cara... Ela perdeu feio! ... Acho que Deus deve ter ficado muito envergonhado daquele povo!

Costumo dizer que política e religião são como água e óleo (podem estar juntos, mas não se misturam), então, aproveito para aconselhar especialmente os cristãos leitores do Blog a não cederem ou vincularem seu direito de voto à membresia de sua denominação (voto é um ato da consciência e não patrimônio da religião), quero deixar uma palavra de exortação e repreensão aos líderes evangélicos para que tenham o cuidado de não manipularem os crentes sob seus cuidados:

“Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção, recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco; tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição; os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça; mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta. Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva. Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro, prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo.”2 Pedro 2.12-19

- pr Aécio -

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

NA LARGADA A GENTE PODE PREVER O FINAL

Em mensagens pregadas durante o ano usei uma analogia citando a maratona conhecida mundialmente como “Corrida de São Silvestre”.
Há, na referida maratona de fim de ano, um montão de participantes – na edição atual (2009) foram 20 mil.
Dentre os maratonistas inscritos, como sempre havia duas classes distintas: atletas profissionais e amadores.
Embora nunca tenha assistido a nenhuma das edições do começo ao fim sempre chamou minha atenção isto que agora me inspira a fazer o seguinte comentário, visto que pelas evidentes diferenças entre ambas as classes a gente pode até não saber quem vai ganhar o prêmio, mas na largada já podemos ter certeza de quem não vai ganhar.
Os profissionais, antes do sinal de largada, destacam-se pela concentração, pelos aparatos técnicos, pela postura no aquecimento e demais sinais próprios de atletas reconhecidos e experimentados nestas competições. É dentre estes que encontraremos os que no mínimo cumprirão toda a jornada. É no meio destes que o vencedor será conhecido e reverenciado.
A grande massa de amadores se destaca pelas fantasias, brincadeiras e pela folia de quem está ali só para aparecer ou por simples realização pessoal. Aí não ninguém levará prêmio algum, a não ser o da autocompensação.

Na “maratona” da vida não é diferente. Há muitas pessoas que tratam sua própria existência de forma amadora. Tais pessoas desprezam a disciplina, fazem pouco caso das regras e não estão muito preocupadas com os resultados, o que lhes importa mesmo é aparecer e sentir-se bem ainda que seja de maneira inconseqüente. Elas querem chamar a atenção e ter os cinco minutos de glória sem o compromisso de vencer... É o que basta.
Não queira começar o ano assim. Hoje, dia 1º de janeiro de 2010, é a largada para uma maratona de 365 dias que demandará muito trabalho, preocupações, estresses e todas as vicissitudes próprias da vida. Não queira ser um “amador” na maratona que vou chamar de "Corrida 2010".
Só os “atletas profissionais” agregam os requisitos para chegar ao fim e vencer. Por isso, cultive o hábito da disciplina, aceite e respeite as regras se quiser ao menos chegar ao final do percurso. Preste atenção nos detalhes dos relacionamentos, seja sábio nas questões do trabalho, assuma seu papel na sociedade, etc. Cuide de sua saúde alimentando-se bem, descansando e divertindo-se o suficiente. Cuide de sua alma com uma dieta de Bíblia, oração e atividades em sua igreja. Ajude as pessoas que estiverem ao seu redor, e todas as que encontrar pelo meio do caminho sempre que tiver oportunidade e condição. Ame sem esperar nada em troca. Perdoe sem questionar! Não se deixe levar pelo cansaço ou desânimo! Por fim, mantenha o foco: Lembre-se que o prêmio pode ser seu!

Um forte abraço,

Espero comemorar junto com você o final de 2010 na ala dos vencedores!

- pr Aécio -